Brasil se classifica nos pênaltis para a semifinal da Copa América

0
jogadores da seleção brasileira vestidos com o tradicional uniforme amarelo
Por 4 x 3, o Brasil conseguiu acabar com a sina de eliminações seguidas para o Paraguai nas penalidades e ficaram com a vaga. Foto: Raul Aborleda/AFP

Jovem Pan – O Brasil empatou por 0 x 0 com o Paraguai, na noite desta quinta-feira (27), na Arena Grêmio, pelas quartas de final da Copa América. Depois de uma pressão impressionante e a bola insistindo em não entrar, a disputa para a próxima fase foi decidida nos pênaltis. Por 4 x 3, os comandados de Tite conseguiram acabar com a sina de eliminações seguidas para o Paraguai nas penalidades e ficaram com a vaga.

O primeiro tempo de Brasil x Paraguai não foi exatamente como boa parte das pessoas previam. Apesar de se fechar bem, os paraguaios saíram bastante para o jogo e tiveram o lance mais perigoso dos 45 minutos iniciais. Nos primeiros cinco minutos, foram logo quatro finalizações, duas de cada lado, mas com pouco perigo. Aos 10 minutos, o Brasil tinha 73% de posse de bola, contra 27% dos rivais.

A dupla de volantes que era tão pedida, Allan e Arthur, não conseguiu dar o dinamismo e saída de bola que a seleção precisava. Em alguns momentos, foi preciso que Marquinhos se aventurasse no ataque para tentar quebrar as linhas de defesa do Paraguai. As duas finalizações para cada lado do início do jogo foram as únicas até os 20 minutos. Aos 28, a melhor chance do primeiro tempo. Derlis recebeu na ponta da pequena área e soltou a bomba. Alisson, bem posicionado, fez grande defesa com uma das mãos. Aos 30 minutos, o Brasil tinha 63% de posse de bola. Aos 33 minutos do primeiro tempo, Gabriel Jesus completou 600 minutos sem marcar um gol em jogo oficial pela seleção brasileira.

Com o 0 x 0 no placar, princípios de vaias começaram a surgir na Arena Grêmio. Foram 4 finalizações brasileiras, contra 3 paraguaias. Os comandados de Tite terminaram o primeiro tempo com 66% de posse, contra 34% do Paraguai.

45 minutos finais

O segundo tempo começou agitado logo de cara com um pênalti marcado para o Brasil, aos 9 minutos de jogo. Firmino recebeu passe, entrou na área e foi derrubado pelo ex-corintiano Balbuena. O juizão apontou a marca da cal. Mas, com o VAR, não se pode comemorar antes. O árbitro de vídeo chamou o juiz, que foi para o vídeo e anulou o pênalti, marcando falta na entrada da área e expulsando Balbuena. Na cobrança, Dani Alves bateu por baixo da barreira e a bola passou raspando.

E a seleção brasileira parecia que estava com medo de arriscar de fora da área. Philippe Coutinho e depois Thiago Silva tinham a visão aberta para o gol, mas exitaram na hora de bater. O Brasil começava uma pressão. Aos 15 minutos, já eram oito finalizações. O jogo virou um ataque contra defesa após a expulsão do paraguaio. A seleção de Tite tocava, tocava e tocava, mas não conseguia criar uma chance clara de gol. A bola rondava a área adversária, mas ninguém conseguia finalizar com qualidade.

A chance mais clara de gol do Brasil caiu no pé de Gabriel Jesus, aquele mesmo que não conseguia marcar um gol em jogo oficial pela seleção brasileira a mais de 600 minutos. Cebolinha fez um salsero pelo lado esquerdo e cruzou na cabeça de Coutinho. O meia do Barcelona errou, e a bola sobrou limpa, dentro da pequena área, para Jesus, mas o camisa 9 conseguiu errar o gol.

Pressão insana do Brasil depois dos 30 minutos. Foram três finalizações seguidas, mas a bola insistia em não entrar. Eram 11 apenas no segundo tempo. Everton Cebolinha era o melhor jogador da seleção brasileira. Sempre que pegava na bola, tentava partir para cima dos adversários e criava as melhores chances. Gatito era o nome do jogo. Depois de cabeçada de Alex Sandro, o goleiro paraguaio fez uma defesaça. E a bola insistia em não entrar. Willian fez grande jogada pela direita, tabelou com Firmino e finalizou. Quando Gatito não pegava, a trave parava o ataque do Brasil.

E vamos para os pênaltis

Brasil: Willian (O) Marquinhos (O) Philippe Coutinho (O) Firmino (X) Gabriel Jesus (O) 4

Paraguai: Gustavo Gómez (X) Almirón (O) Bruno Valdez (O) Rodrigo Rojas (O) Derlis González (X) 3

Ficha técnica

Brasil

Alisson; Daniel Alves (Lucas Paquetá), Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís (Alex Sandro); Allan (Willian), Arthur e Philippe Coutinho; Everton, Gabriel Jesus e Firmino

Técnico: Tite

Cartões Amarelos: Filipe Luís, Arthur e Firmino

Paraguai

Gatito Fernández; Iván Piris, Gustavo Gómez, Balbuena e Alonso; Ortiz, Richard Sánchez (Escobar), Derlis González, Arzamendia (Bruno Valdez) e Almirón; Hernán Pérez (Rodrigo Rojas)

Técnico: Eduardo Berizzo

Cartões Amarelos: Iván Piris, Alonso e Arzamendia

Cartão Vermelho: Balbuena

Público: 45.495 pagantes / 2.716 não pagantes

Renda: R$ 10.352.430

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui